Quero seguir esse blog!

segunda-feira, 9 de abril de 2012

SUBJACTO

Subjacto

Teve um período na arte abstrata desenvolvido nos Estados Unidos na década de 40 do século XX, com o movimento Action Painting, sendo Jackson Pollock seu principal representante. Ao aplicar a tinta na tela os artistas se concentravam no gestual, usavam de diversos meios, diferentes do convencional, derramavam, gotejavam e até mesmo pincelavam, sendo o objetivo mais importante deixar registrado os gestos pictóricos, os sinais e marcas do próprio artista naquele momento da elaboração da obra. Os gestos poderiam ser resultantes de momentos de raiva, de calma, ternura, etc. Feito com as vísceras enfim.
Ao abastecer o carro aos sábados, após dar ateliê em cidade vizinha, encerrando assim a semana de trabalho, ganhava um banho de espuma na lataria e vidros ao encher o tanque. Permanecia dentro do mesmo enquanto recebia o trato do lado de fora. Com minha câmera fotográfica em mãos ia registrando cada momento. Na tela-para-brisa do automóvel surgiam varias telas abstratas instantâneas, mas graças a esse grande invento humano, a fotografia, consegui guardar as inúmeras obras que ali surgiram. A riqueza de formas, linhas, cores que desfilava a minha frente fazia-me viajar. Ao descarregar as fotos em casa tinha grandes surpresas, vendo surgir todo um universo abstrato, diferente, lembrando muitas vezes um mundo alienígena. E de fato ao colocar numa determinada ordem sugere uma viagem intergaláctica.


EM EXPOSIÇÃO NO ESPAÇO CULTURAL BAUHAUS ATE DIA 16 DE ABRIL 2012, EXPOSIÇÃO "INDISCRIÇÕES DO OLHAR" DE MIGUE ANGELO E GRUPO YES ARTE COM RELEITURA DA FILME AMARCOD DE FELLINI

domingo, 1 de abril de 2012

Fim da Arte Abstrata

Modelo real
Pintura na tela













                                             




                                                                                                     


                                                                                                                    
 “Suco e elixir da criatividade ou "Fim da Arte Abstrata”
Primeiramente tornei abstrato alguns objetos que rodeiam-me diariamente. Caixinha de suco, de leite, copo de requeijão, garrafas vazias, etc.
Não quis dizer que os fiz sumir, não é isso. Pintei-os como a um quadro abstrato, estilo “borra-tela”, jogando tintas de varias cores sobre eles  criando um efeito vivo.
Montando então, um cenário com esses materiais, colocando duas telas abstratas junto a eles, uma como mesa para assentá-los e outra como fundo (parede), pintadas da mesma maneira que os objetos,  criei assim uma Natureza Morta abstrata real. Credo! Que contraditório!
Mas não acabou ainda. Não dando por satisfeito pinto na tela esse modelo abstrato de maneira abstrata-figurativa. Entenderam? Ver a foto acima que vai ajudar a entender.
Dessa maneira posso decretar o fim da Arte Abstrata
E também da Arte Figurativa
...quanta pretensão!
Mas que tentei, tentei!

EM EXIBIÇÃO NO ESPAÇO CULTURAL DA ESCOLA BAUHAUS ATÉ DIA 16 DE ABRIL 2012 - RUA MARIANA JUNQUEIRA 623 - CENTRO - RIBEIRÃO PRETO - SP